sexta-feira, 11 de março de 2011

A Mulher Samaritana Um exemplo de entrega!

A Bíblia não menciona o nome da mulher samaritana, mas o que se pode extrair de sua história é que ela foi rejeitada pelos judeus, por ser samaritana, e por seu povo, devido a sua situação sexual irregular.

Naquela época, judeus e samaritanos já não se falavam por conta de uma questão religiosa, embora os dois povos cressem no mesmo Deus (a rixa continua até os dias de hoje). Era costume se buscar água pela manhã, mas aquela samaritana buscava água ao meio-dia (hora sexta,) para não encontrar com ninguém no poço.


Provavelmente vivia fugindo e se escondendo, por vergonha de si mesma, por causa de sua situação familiar e sentimental nada regular.


Quando Jesus chegou àquele poço, estava cansado, com fome e sede. Se Ele quisesse poderia ter pego a água, mas pediu propositalmente à ela a fim de provocar um diálogo. Ele sabia exatamente das necessidades e frustrações daquela mulher. Ela estava amargurada, cheia de complexos e a única coisa que provavelmente não queria ver naquele poço e naquela hora era um judeu. A samaritana se sentiu consternada pelo fato de ele lhe ter pedido água para beber e agiu com uma certa dureza dizendo: ". . . como, sendo tu judeu, pedes de beber a mim, que sou mulher samaritana?" (João 4.9). Quando Jesus, porém, lhe ofereceu da água da vida, o coração da samaritana foi imediatamente quebrantado.


A mulher, ainda não entendendo bem o que se passava ali, disse: "Senhor, dá-me dessa água para que eu não mais tenha sede, nem precise vir aqui buscá-la." (4:15). Mas Jesus, sendo conhecedor de todas as suas amarguras, resolveu tocar em sua ferida para curá-la. "Vai, chama teu marido e vem cá" (João 4:16).

Quando ela respondeu a Ele que não tinha marido, ele imediatamente lhe falou que ela dizia a verdade pois cinco maridos já tinham passado por sua vida e nem aquele que estava em sua companhia era seu. Imediatamente ela o viu como profeta e resolveu tirar a dúvida entre a rixa de seu povo com os judeus perguntando: "Nossos pais adoravam neste monte; vós, entretanto, dizeis que Jerusalém é o lugar onde se deve adorar." Jesus deixou para aquela mulher uma das declarações mais proféticas de todo o seu ministério para todas as gerações futuras. "Mulher, podes crer-me que a hora vem, quando nem neste monte, nem em Jerusalém adorareis o Pai." (João 4.21).

Jesus continuou o diálogo até o ponto em que realmente se deixou descobrir quem era. Naquele momento, o coração inicialmente amargurado foi substituído por outro repleto de júbilo e alegria. A mulher de visão espiritualmente turva teve seus olhos espirituais abertos e assumiu sua posição no reino. A água do poço já não tinha mais importância, ela largou o cântaro e saiu correndo para evangelizar toda uma cidade. Os samaritanos que foram ao encontro de Jesus pediram para que Ele ficasse ali, e Jesus atendendo ao pedido deles permaneceu em Samaria durante dois dias.


Os muitos samaritanos que aceitaram Jesus naqueles dias diziam à mulher que acreditavam em Jesus não só porque ela havia falado Dele. Por causa da Sua Palavra, acreditavam que Ele era o verdadeiro Salvador.


Reflexão: Uma pessoa que durante anos ara a terra em solo seco, normalmente adquire problemas na visão e na audição. Assim também acontece na vida espiritual. O solo do homem é o seu coração. Quando esse se fecha para Deus, torna-se impossível ouvir a Sua voz ou compreender as coisas que vem do alto.



--
DEUS TE   ABENÇÕE.
JESUS TE  AMA.

Nenhum comentário: